.

.

.

Para saber mais ou contratar um seguro de Automóvel, Residência, Empresarial, Vida e Acidentes Pessoais, Responsabilidade Civil, Riscos Diversos e outros produtos, entre em contato conosco: seguroemtemposderiscos@gmail.com

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Moradores do Rio agora podem fazer B.O. pelo celular

Aplicativo com opções como “comunicação de ocorrência”, “extravio de documentos” e “denúncia do bairro”  
















Os registros de ocorrência de crime ou perda de objetos no estado do Rio de Janeiro podem ser feitos agora na palma da mão, ou seja, pelo telefone celular. 

A Polícia Civil do estado criou um aplicativo para ser baixado em aparelhos móveis com opções como “comunicação de ocorrência”, “extravio [perda] de documentos” e “denúncia do bairro”. É só clicar e preencher o formulário. Basta acessar do seu dispositivo a loja de aplicativos, digitar “Delegacia Online PCERJ” e instalar. O aplicativo foi desenvolvido pelo Departamento Geral de Tecnologia da Informação e Telecomunicações da Polícia Civil e já está disponível para download na Play Store e na App Store. 

Com o aplicativo, também é possível entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cidadão (CAC). O cidadão pode tirar dúvidas, fazer elogios ou reclamações, contribuir com informações para investigações e auxiliar a Polícia Civil na localização de foragidos. 

Desde 2014, está disponível no estado um sistema similar para registro de boletins de ocorrência (BO) pela internet. O documento emitido online tem a mesma validade de um BO feito em uma delegacia. Para fazer o registro, é necessário acessar o site da Delegacia de Dedicação Integral ao Cidadão (Dedic) da Polícia Civil. Em seguida, é só preencher o formulário disponibilizado na delegacia eletrônica. O serviço é disponibilizado para cidadãos com idade a partir de 18 anos, que devem indicar o CPF e o CEP do local onde moram. No caso de turista estrangeiro, que não tem o CPF, é necessário informar o CNPJ do estabelecimento hoteleiro onde está hospedado.

Fonte: Exame

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Pokémon Go: Detran-RJ lança campanha para evitar acidentes



O jogo projeta os monstrinhos no cenário da vida real, o que pode causar acidentes


O Departamento de Trânsito do Rio de Janeiro (Detran-RJ) lançou na manhã de hoje (4) uma campanha educativa alertando os usuários do jogo Pokémon Go para os riscos que o aplicativo pode trazer. O programa utiliza uma tecnologia conhecida como realidade aumentada, projetando os monstrinhos no cenário da vida real, o que pode causar acidentes. O jogo chegou ao Brasil na noite de ontem (3).

Com o nome de PokeStop, a campanha busca reforçar que o público se divirta bastante, mas que não esqueça de tomar cuidado e ter atenção ao atravessar ruas e enquanto estiver ao volante. Segundo o coordenador-geral de educação do Detran-RJ, o uso crescente dos aparelhos móveis tem feito com que a combinação celular/direção aumente em mais de 400% as chances de acidentes, de acordo com pesquisas realizadas pela Universidade de Utah, nos Estados Unidos.
Toda essa preocupação, infelizmente, tem um exemplo recente. Amanda Tinoco, 36 anos e moradora da Tijuca, perdeu, em 2014, o seu único filho, Gabriel, 16 anos, não muito longe de casa. Ele foi atropelado por um ônibus ao atravessar uma rua das redondezas enquanto jogava no celular.
O menino tentava descobrir um portal do jogo chamado Ingress, do Google, e que é precursor do Pokémon Go. O portal que ele buscava estava bem próximo do acidente. Segundo o Detran-RJ, o número de acidentes com pedestres nessa situação vem crescendo bastante e já está comprovado que, ao digitar uma mensagem, o tempo de reação fica reduzido em 35%.
Pokémon é uma franquia de jogos eletrônicos lançada em 1996, que posteriormente veio a fazer muito sucesso em forma de desenho nas televisões de todo o mundo, além de cartas, filmes e outros. Em 2016, o título comemorou 20 anos de história.

Fonte: Folha da Manhã

domingo, 31 de julho de 2016

Seguro de Automóveis. Quer seu carro protegido?

Assista neste vídeo a uma aula de como contratar e para que serve o seguro de automóveis.



Fonte: YouTube / Escola Nacional de Seguros




Para contratar o seguro do seu carro ou receber mais informações em Campos dos Goytacazes/RJ, fale conosco 

e-mail: c.barbosa2006@terra.com.br / seguroemtemposderiscos@gmail.com 

sábado, 2 de julho de 2016

Quer aprender a distância segura do veículo à frente?



É bem simples: escolha um ponto fixo na via, como uma árvore, por exemplo. Quando o veículo à sua frente passar por esse ponto definido, conte pausadamente cinquenta e um, cinquenta e dois (mais ou menos dois segundos). Se você passar por esse ponto de referência antes de terminar a contagem, atenção! Diminua a velocidade para garantir a sua segurança. 

Lembre-se que é importante levar em consideração as condições climáticas, pneus e freio do carro e sua velocidade. 




Fonte: Detran RJ

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Carona remunerada

Questão do seguro é mais um ponto polêmico do aplicativo UBER 



Nas grandes cidades do país, já se tornaram comuns os protestos de taxistas contra o aplicativo Uber. 


Criada em 2009 nos EUA, a multinacional norte-americano que criou esse aplicativo de transporte privado remunerado tem dado o que falar por onde se instala. Mundialmente conhecida – e polêmica –, a empresa propõe uma opção nova de transporte nas grandes cidades, oferecendo, por meio de motoristas e seus carros particulares, o que se chama de “carona remunerada”, semelhante ao táxi tradicional. Por oferecer um serviço diferenciado, com vantagens como carros mais novos e serviços aos passageiros, como água e doces, o serviço logo conquistou um número grande de usuários. 

Com a mesma rapidez cresceu o número de críticos, sobretudo entre os taxistas profissionais que, fortemente regulados, acusam a empresa de concorrência desleal. A polêmica gerada pelo Uber, no entanto, não se restringe à legalidade do serviço prestado. “A questão do seguro para os automóveis que prestam o serviço está dando muito o que falar no mercado de seguros”, é o que afirma Bruno Kelly, sócio da Correcta Corretora de Seguros, com exclusividade para o Tudo Sobre Seguros. “É um enquadramento difícil de fazer. Do ponto de vista legal, um carro do Uber não é táxi. Inclusive, isso fica ratificado na medida em que a placa não é vermelha, como a dos carros de praça. Isso jogaria o seguro desses veículos na categoria ‘particular’”, explica. Por outro lado, do ponto de vista prático, trata-se de um carro de praça, ou aluguel, cujo risco é substancialmente maior que o de um carro de passeio”, completa. 

Ainda segundo Kelly, muitas seguradoras não aceitam o risco dos táxis legalmente constituídos e tampouco dos carros do Uber, que têm ainda seu risco substancialmente potencializado pelos atos de vandalismo praticados em diversas cidades ao redor do mundo contra seus motoristas e veículos.  “As seguradoras que aceitam cobrir táxis (que são poucas) temem aceitar os carros do Uber, não apenas pelo risco mais elevado e a dificuldade de enquadramento, mas também pela dificuldade de indenização (os táxis têm isenção tributária no ato de sua aquisição o que faz com que tenham um valor de indenização inferior ao de um carro de passeio comum)”, diz. De forma mais objetiva, Kelly explica que o seguro para os automóveis do Uber tende a ser precificado como táxi e os atos de vandalismo, por enquanto, ainda não têm sido considerados na precificação, pois é um risco não aceito. “Cabe aqui um alerta! Vemos no dia a dia muitos corretores cotando seguro de Uber como veículos de passeio. Isso é extremamente perigoso, pois pode acarretar uma negativa de indenização por parte da seguradora, caso, no momento do sinistro, fique caracterizada a utilização do veículo como Uber e não como veículo particular”, ele ressalta.

Por dentro do Uber Um motorista do Uber, que prefere não se identificar, comentou com exclusividade ao Tudo Sobre Seguros que uma das exigências feitas pelo aplicativo para que um motorista se cadastre para prestar o serviço, é contratar um seguro de Danos a Terceiros com cobertura mínima de R$ 50 mil. Situação legal do aplicativo Depois de muito embate entre taxistas e motoristas do Uber, a Justiça deu pareceres favoráveis ao aplicativo nas duas maiores cidades do país. A Justiça do Rio de Janeiro concedeu, em outubro de 2015, liminar autorizando o funcionamento do serviço de transportes no estado. A decisão, da juíza Mônica Teixeira, da 6ª Vara de Fazenda Pública da Capital, proíbe que o Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro) e a Secretaria Municipal de Transportes do Rio restrinjam o livro exercício da atividade empresarial do Uber. Em São Paulo, o desembargador Fermino Magnani Filho, da 5ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo concedeu, no dia 2 de fevereiro de 2016, uma liminar proibindo a prefeitura da capital paulista de praticar quaisquer medidas restritivas contra o uso do aplicativo Uber, tanto relacionadas aos motoristas quanto aos usuários. Recentemente, foi publicado decreto do prefeito de São Paulo liberando o funcionamento de empresas como a Uber mediante compra de créditos que serão oferecidos por quilômetro rodado a um custo médio de 10 centavos, podendo variar por horário e local.

Fonte: Tudo Sobre Seguros


quinta-feira, 28 de abril de 2016

Home office: proteções do seguro para quem trabalha em casa



Cada dia mais pessoas aderem ao modelo de trabalho home office, seja por recomendação das empresas ou por iniciativa própria. Segundo Álvaro Melo, presidente da Sociedade Brasileira de Teletrabalho, estima-se que 32,5% da população mundial economicamente ativa trabalha de suas casas - ou seja, aproximadamente 1 bilhão de indivíduos fazem parte do sistema de home office, sendo que desse montante 12 milhões são brasileiros.
Os principais motivos que levam à mudança do escritório para o home office são os problemas de mobilidade urbana e à busca por mais qualidade de vida. Mas não pense que é fácil, não! É preciso muita disciplina, organização e comprometimento com prazos e metas.
E sim, trabalhar de casa pode ser mais tranquilo do que no ambiente empresarial, mas isso também significa que você precisará lidar com problemas que antes não eram de sua responsabilidade.
Com a tempestade de ontem parece que meu computador queimou. Vou chamar o TI” ou 
“Acabou a energia no escritório, vou tomar um café enquanto espero voltar” - não existem mais as figuras do rapaz de TI ou o técnico de manutenção que cuida dos reparos no seu andar. E agora, como resolver esse problema?


Ao contratar um seguro residencial, você poderá contar com diversas coberturas, entre elas:
  • IncêndioExplosão e Implosão de qualquer causa, exceto dolo;
  • Queda de raio, que danifique diretamente os bens segurados;
  • Danos elétricos, eletrônicos e curto-circuito;
  • Roubo ou furto qualificado.

Mencionamos algumas proteções do seguro residencial que contribuem para a tranquilidade de quem trabalha em casa, pois garantem a segurança dos equipamentos utilizados para desempenhar as atividades profissionais, bem como a de toda a residência.
Além disso, existem outros serviços e assistências que contribuem para que o segurado não fique na mão durante o horário comercial (e também fora dele!): Assistência Domiciliar e Check-up Lar.
Já levou em consideração que provavelmente você nunca passou tanto tempo em sua casa como agora, caso já atue no regime home office? Mais um motivo para garantir que o seu lar esteja totalmente protegido.
Converse conosco e informe-se sobre descontos, exclusividades e as melhores condições pra contratar um seguro residencial que ofereça as condições acima informadas, pois não são todas as apólices contratadas no mercado que oferecem as mesmas prestações de serviços.
Nossa especialidade é cuidar de você e do seu patrimônio .

Nosso contato em Campos dos Goytacazes/RJ: 
seguroemtemposderiscos@gmail.com / c.barbosa2006@terra.com.br
                          


quarta-feira, 23 de março de 2016

Você e seu carro protegidos. O futuro de milhares de crianças garantido.


Allianz Auto Instituto Ayrton Senna é um seguro criado não só para quem investe em segurança, mas na educação pública de qualidade, através dos programas educacionais do Instituto Ayrton Senna.
E além de proteger seu carro, ainda ajuda na formação de mais de 1,8 milhão de crianças e jovens do Brasil, pois parte do valor do seguro da Allianz é revertido para o Instituto Ayrton Senna.
Veja abaixo o que o Allianz Auto Instituto Ayrton Senna oferece para o seu carro:



Para contratar ou agendar a renovação de sua apólice em Campos dos Goytacazes, fale conosco: seguroemtemposderiscos@gmail.com .

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Seguradora pode ser proibida de excluir dano por vandalismo

O deputado Wilson Filho (PTB/PB) apresentou, nesta terça-feira (16/02), projeto de lei que veda às companhias seguradoras estabelecerem, nos contratos de seguros de veículos, cláusula de exclusão de cobertura de danos decorrentes de agressão ou de ato de vandalismo isolado ou de protesto coletivo.
De acordo com a proposta, será considerada “abusiva e nula” a inclusão dessa cláusula nos contratos de seguros.
O parlamentar alega que, embora a principal função do mercado, em relação aos seguros de bens, seja diluir os riscos de seus clientes, essa relação contratual nem sempre é positiva e certa. “As seguradoras inserem nos contratos exclusões, exceções ou circunstâncias que as desobrigam do pagamento das indenizações, mesmo tendo recebido a totalidade dos prêmios contratados”, critica o deputado.
Segundo ele, uma dessas circunstâncias é a ocorrência de sinistros decorrentes de atos de vandalismo, sejam eles isolados ou perpetrados no decurso de protestos públicos ou movimentos sociais. “Tais exclusões não se justificam, uma vez que o mercado de seguros é abrangente e robusto e, embora tais eventos gerem imagens chocantes de depredação e destruição, são, no seu conjunto, insignificantes para desequilibrar patrimonialmente as seguradoras”, observa Wilson Filho.
Ele ressalta ainda que o setor está estruturalmente mais bem preparado para absorver demandas gravosas, em primeiro lugar, porque é de sua natureza lidar com riscos e, em segundo lugar, por dispor de mecanismos de diluição dos riscos, como o cosseguro, o resseguro e a retrocessão. “O segurado individualmente sofre maior dano em seu patrimônio que o grupo de seguradoras responsáveis pelos veículos depredados ou destruídos numa manifestação violenta”, comenta.
Para ele, a recuperação do bem ou sua reposição pelo cidadão gerará maior impacto sobre o orçamento familiar que o conjunto dos sinistros ao mercado de seguros.
Diante disso, o deputado não vê justificativa para que a legislação brasileira seja silente a esse respeito e admita a desobrigação das seguradoras e vulnerabilidade dos privados, nos casos de vandalismo e movimentos sociais violentos.
Se for aprovada, essa lei entrará em vigor 30 dias após a sua publicação oficial.

Fonte: CQCS

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Código de Trânsito está defasado sobre smartphones e aplicativos

Em 1998, celulares não tinham tantas funções como hoje


Criado em setembro de 1997 e em vigor há 18 anos, desde 22 de janeiro de 1998, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) passa por constante atualização, por meio de resoluções. Entre essas atualizações estão a regulamentação de artigos, além de leis que alteram o CTB. Até agora foram 38 alterações, sendo 27 leis, uma medida provisória, uma lei complementar e nove decretos.


Entre as mais conhecidas estão a Lei Seca, que alterou os níveis de álcool permitidos no sangue do motorista e as penalidades para quem dirigir alcoolizado, e a mais recente, que aumentou a punição para quem estaciona em vagas exclusivas sem autorização.

No entanto, ainda há pontos em que o código está defasado. O sociólogo e consultor em educação para o trânsito, Eduardo Biavati, lembra que o CTB não contempla os smartphones e seus aplicativos de bate-papo, que têm disputado a atenção de várias pessoas enquanto dirigem. “Nesses 20 anos, a tecnologia evoluiu tanto que o telefone celular incluiu uma multiplicidade de usos que o código simplesmente não reconhece. O código ainda trata da conversa ao celular e, na verdade, esse é o menor uso hoje”.

O diretor-geral do Detran-DF, Jayme de Sousa, lembra que muitos carros atualmente têm dispositivos que permitem ao motorista atender o telefone sem usar as mãos ou recorrer a fones de ouvido. “Hoje, a maioria dos veículos novos tem o sistema de viva-voz [que conecta pelo bluetooth o telefone ao sistema de som do carro]. A lei não proíbe você atender o telefone no viva-voz. A lei proíbe você utilizar apenas uma das mãos para dirigir”.

Biavati acredita que o CTB deveria considerar outros meios de transporte em seu corpo de normas. “Nós incorporamos uma massa de novos usuários ao trânsito motorizado e também ao não motorizado, como as bicicletas por exemplo. Além disso, o código não prevê nada sobre um skatista que use o asfalto. Não era um meio de transporte [na época da criação do código], mas agora é”.

Sousa lembra que a tendência das cidades não é aumentar as ruas para receber mais veículos. A saída agora, segundo ele, é investir em meios de transporte alternativos ao carro. “A tendência hoje não é alargar mais as vias, é procurar outros meios de mobilidade urbana. Não falo só do transporte público coletivo, mas também da bicicleta, que tem sido um meio muito utilizado. O desafio do governo é buscar outros modelos de mobilidade para que possamos garantir a fluidez no trânsito”. Para ele, o CTB foi uma lei “à frente do seu tempo” e que precisa apenas se manter atual.

O assessor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) Ailton Brasiliense segue o mesmo raciocínio. “Legislação é uma preocupação permanente. Sempre haverá preocupação com a melhor sinalização, veículos mais confiáveis, equipamentos novos. A parte de educação, de engenharia, economia; isso tudo tem que estar em processo de revisão. E essas resoluções são permanentes”.

Fonte: Correio Braziliense

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Incêndio preocupa empresários do Brasil

Segundo pesquisa realizada pela seguradora Zurich, o Brasil registra maior índice do mundo de preocupação com Incêndio, três vezes acima da média global. 
Confira dicas para minimizar este risco

Do total de três mil pequenas e médias empresas entrevistadas na Pesquisa Global Zurich PMEs, em 15 países, 8,5% se preocupam com incêndio. O índice entre as brasileiras (200 entrevistadas) alcança 23%, ou seja, três vezes mais. Também é o dobro do registrado no segundo da lista, Espanha, com 11% de registro.


Além disto, a Pesquisa Global Zurich PMEs identifica que o Incêndio é o tipo de sinistro mais temido pelas pequenas e médias empresas brasileiras. A Zurich, seguradora que atua em mais de 170 países e é referência global em Engenharia de Riscos (Risk Engineering), lista pontos de atenção que podem minimizar as causas. Carlos Cortés, especialista da Zurich em Gerenciamento de Riscos, exemplifica que não basta atender os requerimentos mínimos de proteção contra incêndio, pois eles visam unicamente a proteção da integridade física das pessoas, mas não tanto do patrimônio. Por outro lado, é relevante que as empresas recebam consultoria referente a como reforçar a cultura de prevenção de riscos de incêndio e façam esforços para implementar ações de melhoria. Enfim, não há melhor resposta a um incêndio que aquele que não acontece.


“Para empresas, um incêndio tem outro agravante. É importante lembrar que um seguro pode oferecer cobertura para cobrir perdas em Patrimônio e o que o empresário deixou de ganhar no período de interrupção (cobertura para Lucros Cessantes). Mas nenhum seguro indeniza o dano à imagem da empresa e o mercado que se tenha perdido”, destaca Carlos Cortés, o Head of Risk Engineering da Zurich Brasil.


DICAS - 

PREVENÇÃO 

-Reforçar as políticas de controle de fumo. 
-Reforçar as permissões de trabalhos de corte e solda, além da análise preliminar de riscos. 
-Incluir nos programas de manutenção elétrica a análise de gases dissolvidos para transformadores a óleo e rotinas de termografia infravermelha. 
-Implementar programa para a melhoria do housekeeping. 
-Reforçar os programas de treinamento em segurança e prevenção de incêndios ao pessoal. 
-Atualizar as avaliações dos riscos inerentes às operações. 

CONTROLE 

-Fornecer sistemas automáticos de detecção de incêndio, além das botoeiras manuais. 
-Revisar que as reservas técnicas de incêndio sejam adequadas para o tipo de risco considerando a proteção do patrimônio. 
-Fortalecer os planos de resposta a emergência. 
-Avaliar a viabilidade de instalar sistemas automáticos de proteção contra incêndio. 
-As empresas devem aproveitar as oportunidades de projetos de expansão e de melhoria dos locais para reforçar os sistemas protecionais. 

Para mais informações, consulte o site da Risk Engineering: 

Em tempo: Entre os 15 países pesquisados, a Espanha ocupa o segundo lugar, com a metade da preocupação do Brasil: 11%. Em terceiro lugar vem o México, com 10%. O país menos receoso é a Irlanda, com 3% de apontamentos. 

Fonte: Zurich

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Se o mosquito da dengue pode matar, ele não pode nascer





Em água limpa e parada, o mosquito da dengue se desenvolve em até 5 dias. Rápido, né? Mas isso também significa que esse tempo cabe dentro da sua semana.
 
Então, que tal reservar o sábado para combater esse mosquito que, além de dengue, agora transmite chikungunya e zika? Elimine os focos do mosquito da sua casa. Se o mosquito da dengue pode matar, ele não pode nascer.
 
Faça a sua parte:

- Tampe as caixas d´água.
- Mantenha as calhas sempre limpas.
- Não acumule lixos.
- Não deixe água acumulada em garrafas, pneus, vasos e plantas.
- Use repelentes.
- Utilize mosquiteiros e telas nas janelas.
 
NÃO DEIXE ÁGUA PARADA.
 
Atenção para os principais sintomas:

- Febre
- Coceira
- Dor de cabeça
- Dor atrás dos olhos
- Dor no corpo e nas juntas
- Manchas vermelhas pelo corpo
 
Na ocorrência destes sintomas, procure imediatamente seu médico.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Cartilha reforça orientações sobre vírus Zika

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) segue disseminando as ações do Ministério da Saúde no combate ao vírus Zika, ciente de que a informação e a prevenção são as principais armas de que a população dispõe.
Com esse objetivo, o Ministério da Saúde reuniu, em uma cartilha, as principais orientações quanto à prevenção/proteção e aos cuidados com ênfase nos seguintes públicos:
  • Sociedade em geral
  • Mulheres em idade fértil
  • Gestantes
A publicação também contém informações específicas sobre os cuidados que devem ser tomados com recém-nascidos e recém-nascidos com microcefalia, doença relacionada ao vírus Zika.
A ANS ressalta que o Cartão da Gestante contendo todas as informações do pré-natal já está disponibilizado na saúde suplementar e o seu uso deve ser incentivado.
Também é importante destacar que, de modo geral, todos os exames e terapêuticas preconizados para o tratamento do bebê com microcefalia estão disponíveis no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde (cobertura obrigatória dos planos de saúde). 
Fonte: ANS

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Hemocentro pede doações para as festas de final de ano



Os corredores do Hemocentro Regional, situado no Hospital Ferreira Machado (HFM), têm ficado a cada dia mais vazios. De acordo com o administrador Luciano Costa, nessa etapa do ano é quando mais se precisa de doações, devido ao aumento do número de acidentes nas estradas e é por isso que mais uma vez, o apelo é fundamental.
O hemocentro conta com ferramentas de comunicação para ajudar nas campanhas de doação. Com a escassez do estoque, as cirurgias eletivas estão paralisadas.
— Estamos fazendo campanhas de Natal para aumentar o número de doadores. A imprensa e as redes sociais têm nos ajudado bastante a dar um incentivo as pessoas. Porém nessa época do ano, temos uma queda muito grande no quantitativo de doadores, em virtude das festas de confraternização. As pessoas não vêm doar , como de costume. O período que a gente mais precisa de doadores é esse, por causa do aumento do número de acidentes nas estradas — disse Luciano.
A preocupação é que o hemocentro consiga doações antes de terminar o ano, pois as cirurgias eletivas não estão podendo ser feitas. “Nós precisamos de estoque mínimo, e não temos. As cirurgias eletivas estão paradas por que não tem doação o suficiente. Durante a semana tivemos cerca de 20 doadores por dia, mas nós precisamos atingir pelo menos 70. Precisamos de doadores urgentemente”, afirma o administrador do Hemocentro Regional.
De acordo com informações da assessoria de imprensa do Hospital Ferreira Machado (HFM) tanto as doações quanto o estoque estão baixos e há uma grande necessidade de sangue, principalmente dos tipos A+, O+ e O-.
Horários especiais — Por conta das festas de final de ano, haverá mudanças nos dias de atendimento no hemocentro. Nos dias 24 e 31 de dezembro, o funcionamento para doadores será 07h às 16h, e nos feriados dos dias 25 de dezembro e primeiro de janeiro, o banco de sangue funcionará das 07h às 14h. O hemocentro abre normalmente todos os dias, para a coleta de sangue.

Fonte: Folha da Manhã

FELIZ NATAL E UM 2016 DE GRANDES REALIZAÇÕES



O ano de 2015 chega ao seu final e, embora tenha sido desafiador, todos torcemos e acreditamos em um 2016 com mais estabilidade e crescimento no Brasil e no mundo! 

   Boas Festas!


CARLOS ALBERTO BARBOSA
Consultor Securitário

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Por que ter um seguro?



Porque você não quer dar chance ao azar. Um pneu que fura em uma rua deserta, um vizinho barbeiro que amassa seu carro na garagem do seu prédio, um vaso de plantas caindo inusitadamente do céu sobre o capô do seu carro, enchentes que fazem do seu carro um barco à deriva e até uma pedra que destrói seu parabrisa...
 
Você acha que isso foi tirado de alguma ficção? Pois saiba que a realidade pode ser muito mais criativa. Em matéria de seguros, é sempre bom estar preparado para tudo antes que seu caso fique famoso no Youtube.
 
Estamos em Campos dos Goytacazes desde 1998 e representamos várias seguradoras no mercado.
 
Para contratar ou agendar a renovação de sua apólice em vigor, fale conosco.


Contatos:

c.barbosa2006@terra.com.br 

seguroemtemposderiscos@gmail.com

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Aedes aegypti: conheça a história do mosquito no Brasil e suas características

O Aedes aegypti – mosquito transmissor de doenças como a dengue, a febre amarela, a febre chikungunya e o vírus Zika – é originário do Egito, na África, e vem se espalhando pelas regiões tropicais e subtropicais do planeta desde o século 16. No Brasil, segundo pesquisadores, o vetor chegou ainda no período colonial. “O mosquito veio nos navios com os escravos", explica a pesquisadora do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, Margareth Capurro.



De acordo com o Instituto Oswaldo Cruz, o Aedes aegypti foi descrito cientificamente pela primeira vez em 1762, quando foi denominado Culex aegypti. O nome definitivo veio em 1818, após a descrição do gênero Aedes. Em território nacional, desde o início do século 20, o mosquito já era considerado um problema. À época, no entanto, a principal preocupação era a transmissão da febre amarela. “Na campanha contra a febre, o Aedes aegypti foi erradicado do Brasil usando inseticida químico", lembra a pesquisadora.

Porém, não demorou muito para o mosquito voltar e se espalhar pelo extenso território brasileiro. Em meados dos anos de 1980, o Aedes aegypti foi reintroduzido no país, por meio de espécies que vieram principalmente de Cingapura. Hoje, conforme estudiosos, falar em erradicação é algo improvável. “O fato de usarmos muitos inseticidas químicos fez com que sejam selecionados os mosquitos mais resistentes. A resistência atual desses vetores é muito grande. Justamente por isso, tende-se a diminuir ao máximo o uso de inseticida químico”, esclarece Capurro.

Segundo o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) – que se baseia em dados dos meses de outubro e novembro de 2015 e acumula informações de 1.792 cidades –, um total de 199 municípios brasileiros estão em situação de risco de surto de dengue, chikungunya e vírus Zika devido à presença significativa do Aedes aegypti. A classificação, feita com base em dados reunidos pelo Ministério da Saúde, leva em conta o fato de que em mais de 4% das casas visitadas nesses locais foram encontradas larvas do mosquito.

Confira a situação do seu município:

Lista mostra situação do Aedes Aegypti nos municípios brasileiros
Em situação um pouco menos crítica – com 1% a 3,9% dos imóveis com foco do mosquito –, o ministério identificou um total de 665 municípios brasileiros em alerta. Outros 928 foram considerados com índices satisfatórios – já que nessas localidades menos de 1% das residências apresentaram larvas do mosquito.


O levantamento identificou ainda a presença do mosquito Aedes albopictus em 261 municípios. Esse vetor também pode transmitir a chikungunya e o vírus Zika. "O Zika acabou se afinando muito bem aos dois tipos de aedes", explica Caio Freiro, do Instituto de Ciências Biomédicas da USP.

Entre as 18 capitais que o Ministério da Saúde recebeu informações sobre a presença do Aedes aegypti, apenas Rio Branco (AC) está em situação de risco. Outras sete são classificadas como “em alerta” e dez com “índices satisfatórios”.


*Com informações da TV Brasil

Fonte: Agência Brasil

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Você e seu carro protegidos. O futuro de milhares de crianças garantido.




Allianz Auto Instituto Ayrton Senna é um seguro criado não só para quem investe em segurança, mas na educação pública de qualidade, através dos programas educacionais do Instituto Ayrton Senna.

Agora você pode proteger seu carro e ajudar na formação de mais de 1,8 milhão de crianças e jovens do Brasil, pois parte do valor do seguro da Allianz é revertido para o Instituto Ayrton Senna.

Faça parte desse legado, afinal, o melhor do Ayrton não pode parar.



Para contratar ou agendar a renovação de sua apólice, fale conosco: seguroemtemposderiscos@gmail.com .

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

DETRAN NOTIFICA MAIS DE 10 MIL MOTORISTAS QUE ESTOURARAM O LIMITE DE 20 PONTOS, SENDO 4.275 COM A CARTEIRA SUSPENSA

O Detran notificou no Diário Oficial do último dia 19, 10.471 motoristas e motociclistas que estouraram o limite de 20 pontos em infrações de trânsito no período de um ano. Desse total, 4.275 tiveram a habilitação suspensa e devem entregá-la imediatamente ao Detran, e fazer um curso de reciclagem para reavê-la.

Se esses condutores forem flagrados dirigindo assim mesmo, sem habilitação, sofrerão um processo para cassação da carteira conforme previsto no artigo 263 do Código de Trânsito Brasileiro. Esse flagrante poderá ser feito nas ruas por agentes de trânsito e remotamente — com o cruzamento de informações no banco de dados do Detran, que identificará quem estiver ao volante ilegalmente através de infrações de trânsito. Neste caso, as multas cometidas servirão de prova para abertura automática de um processo para cassação da habilitação.

O Diário Oficial também notificou 2.078 condutores contra os quais foi aberto processo para suspensão de carteira e devem apresentar defesa prévia, e outros 3.668 que ainda podem recorrer às juntas administrativas de recursos e infrações para evitar a perda da habilitação.

Além disso, o Detran avisou pelos Correios cerca de 20,2 mil condutores que tiveram abertos processos de suspensão de habilitação entre agosto e outubro deste ano. Também foram alertados outros 14.648 para que apresentassem suas defesas e 15.850 que tiveram suas carteiras suspensas, devendo entregá-las ao departamento.
 
Fonte: Detran-RJ

terça-feira, 20 de outubro de 2015

HDI AUTO PERFIL - Proteção na medida certa para o seu veículo

O Seguro HDI Auto Perfil oferece coberturas especiais, que consideram a sua rotina e hábitos de utilização do veículo. Com ele você tem mais vantagens por um preço justo e ainda conta com um atendimento ágil e eficaz no caso de sinistro.

COBERTURA BÁSICA

  • Cobertura do Veículo - Cobertura do casco pelo valor de mercado referenciado ou valor determinado.
  • Cobertura contra Terceiros - Garante o reembolso de indenizações pagas a terceiros pelos danos materiais ou corporais causados pelo segurado.
  • Acidentes Pessoais de Passageiros - Cobre morte/invalidez permanente de qualquer pessoa transportada no veículo, em decorrência de acidente de trânsito.

COBERTURAS ADICIONAIS e opcionais

  • Extensão do Perímetro aos Países das Três Américas - Extensão da cobertura básica de casco em caso de acidente em países das Américas do Sul, Central e do Norte.
  • Acessórios - Proteção ao rádio/CD player, blindagens e kit gás.
  • Reposição de Veículo 0 km - Reposição, em caso de indenização integral, pelo valor de veículo 0 km da tabela de referência, aplicado o percentual contratado.
  • Despesas Extras - Pagamento das despesas extras que estejam diretamente relacionadas ao veículo segurado, exclusivamente em caso de indenização integral.
  • Danos Morais - Reembolso das indenizações por danos morais que o segurado for obrigado a pagar em função de ação judicial, em decorrência de acidente com o veículo segurado.
  • Extensão de Danos Corporais a Dirigentes, Sócios, Empregados e Prepostos - Extensão da cobertura RCF-V (Danos Corporais) aos dirigentes, sócios, empregados e prepostos do segurado e às pessoas que dele dependam economicamente.
  • Extensão de Perímetro Uruguai, Paraguai e Argentina - Cobertura RCF- V (Danos Corporais), no caso de acidente em algumas cidades de fronteira no Paraguai, Uruguai e Argentina, num percurso de até 50 km de distância do ponto de ingresso no outro país.
  • Safe Driver - Quitação do prêmio a vencer da apólice vigente em caso de morte do titular da apólice. Se renovado na HDI, haverá a quitação do prêmio de renovação.
  • Despesas Médico-Hospitalares - Reembolso referente às despesas médico-hospitalares de qualquer passageiro presente no interior do veículo sinistrado.
Os serviços de Assistência 24 Horas garantem a sua tranquilidade no caso de imprevistos e situações de emergência. Veja alguns dos benefícios a que você tem direito na contratação do seguro:
  • Guincho
  • Socorro auto
  • Táxi
  • Troca de pneus
  • Chaveiro
  • Pane seca
Para contratar ou agendar a renovação de sua apólice em vigor, fale conosco: 
seguroemtemposderiscos@gmail.com






segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Forte explosão deixa feridos e destrói vários imóveis na Zona Norte do Rio

Ao todo, 40 imóveis foram afetados, de acordo com a Defesa Civil.
Sete feridos foram levados ao hospital e bombeiros buscam soterrados.

Mais informações no link : http://glo.bo/1MOcrbP