.

.

.

Para saber mais ou contratar um seguro de Automóvel, Residência, Empresarial, Vida e Acidentes Pessoais, Responsabilidade Civil, Riscos Diversos e outros produtos, entre em contato conosco: seguroemtemposderiscos@gmail.com

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Nº de roubos de veículos mais do que dobra em Campos

Continua cada vez mais alarmante o clima de insegurança na região de Campos em algumas modalidades de crime registradas nas delegacias e unidades da Polícia Militar, de acordo com os últimos dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) referentes ao mês de outubro.
O número de roubos de veículos mais do que dobrou em outubro, subindo de 15 para 31 ocorrências em comparação a setembro.
O índice de furto de veículos, por sua vez, praticamente se equiparou de um mês para o outro. No mês passado foram 41 carros furtados; este mês, houve ocorrência de 40 furtos de veículos.
O roubo a transeunte é outro tipo de ocorrência que mais tem frequentado os boletins das delegacias com aumento de 46% em relação aos registros do mês de setembro. No mês passado, foram 98 ocorrências enquanto este mês subiu para 143 registros.
O numero de roubo a residências subiu de 7 para 12 casos de setembro para outubro.
Houve também equilíbrio nos roubos de aparelho celular: 18 em setembro, contra 17 ocorrências em outubro.
O quantitativo de roubos a estabelecimentos comerciais caiu de 19 para 17 ocorrências.
As ocorrências de estupro caíram de 17 para 9 casos nos municípios da região.
As apreensões de drogas registraram queda de 100 para 84 ocorrências; mas os casos de apreensão de armas subiram de 36 para 64 registros.
O número de homicídios também registrou queda de setembro para outubro, de 29 para 19 registros nos boletins de ocorrências, mas os índices de assassinatos em Campos continuam elevados com aproximadamente 250 pessoas mortas a tiros somente este ano.
As tentativas de homicídio registraram elevação de 29 para 42 ocorrências de setembro para outubro.
Fonte: Campos 24 Horas

sábado, 3 de dezembro de 2016

Tragédia com a Chapecoense: Seguro cobre vítimas

Pagamento de seguro de vida é obrigação dos clubes, de acordo com o artigo 45 da Lei Pelé; CBF custeou os custos, em parceria com o Itaú Seguros, em março deste ano.




Os atletas da Chapecoense que foram vítimas do acidente aéreo na Colômbia estão cobertos por seguro de vida e de auxílio funeral custeados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Das 81 pessoas a bordo (9 tripulantes e 72 passageiros entre jogadores, equipe técnica e jornalistas), 76 morreram.
Em março deste ano, a CBF anunciou que pagaria seguro de vida a todos os atletas profissionais com contratos ativos no sistema BID. Inicialmente, essa apólice era custeada pelos clubes, mas desde março a entidade passou a assumir os custos em parceria com a Itaú Seguros.
O pagamento de seguro de vida é obrigação dos clubes, de acordo com o artigo 45 da Lei Pelé. A apólice contratada fornece ao beneficiário cobertura por morte por qualquer causa, invalidez permanente total ou parcial por acidente e invalidez funcional permanente ou total por doença. Todas as coberturas são calculadas conforme o salário do atleta, multiplicado o valor em doze vezes.
*Com informações da CBF.
Fonte: Revista JRS Comunicação


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

SEGURO DE VEÍCULO - PROCEDIMENTOS

01. BATI MEU AUTOMÓVEL. COMO DEVO PROCEDER?

R: Quando não há vítimas, os órgãos de controle de trânsito não vão ao local. Por isso é preciso ir até um batalhão de trânsito ou delegacia mais próxima fazer o B.O. (Boletim de Ocorrência), que é necessário, e obrigatório em acidentes de colisão envolvendo terceiros.

02 - EM CASO DE ACIDENTE COM TERCEIROS, POR QUE DEVO REGISTRAR B.O.?

 
R: Porque a Seguradora certamente adotará alguns procedimentos para apurar a veracidade da colisão, como vistoria de constatação de danos nos dois veículos, por exemplo: O segurado pode ser obrigado a levar o veículo num posto para essa vistoria ou receber a visita do vistoriador. Esse resultado será objeto de negociação entre o corretor e a seguradora, com decisão exclusiva da seguradora.

O procedimento de B.O. facilita os trâmites dessa negociação, pois conta com a interferência de um órgão legal documentado a averiguação do acidente.

03 - O QUE FAZER SE HOUVER VÍTIMAS NUM ACIDENTE DE TRÂNSITO?
 
Chame imediatamente o resgate ligando para 193 para socorro das vítimas antes de qualquer outro procedimento.

04 - BATI MEU CARRO. TENHO DIREITO A GUINCHO?
 
Sim. O seguro de automóvel sempre possibilita o uso do guincho por meio da cláusula de assistência 24 horas, que além do guincho contempla outros serviços. Mas é preciso conhecer bem o tipo de contratação, porque cada uma delas oferece serviços diferenciados, principalmente na questão da autonomia da km.

05 - AO BATER O CARRO, POSO LEVÁ-LO EM QUALQUER OFICINA?

R:O segurado tem livre escolha de oficinas, mas as seguradoras têm oficinas credenciadas que oferecem descontos e outros serviços aos seus clientes segurados. Algumas concedem um prazo para a utilização de carro reserva, outras dão descontos na franquia ou parcelam a franquia.

Sempre vai haver um benefício ao segurado quando você escolher as OFICINAS INDICADAS PELA SEGURADORA, principalmente no que se refere a agilidade de reparação dos serviços. O melhor mesmo  é ouvir a Central de Atendimentos que atende no número do cartão do segurado, entregue juntamente com a sua apólice de seguros. Esteja sempre com esse cartão.

Nota: Como a apólice de seguros demora em média 20 dias para ser entregue, é bom solicitar do seu corretor o número da Central de Atendimento da Seguradora na hora da efetivação do seguro

06 - QUAL O PRAZO PARA RECEBIMENTO DA INDENIZAÇÃO?

O pagamento da indenização é normalmente utilizado pela seguradora em caso de Perda Total do veículo e  será efetuado no prazo mínimo de cinco dias úteis e no máximo de trinta dias corridos da apresentação dos documentos necessários que comprovem seus direitos de propriedade sobre o veículo, livre e desembaraçado de qualquer ônus.
Quando se trata de Danos Parciais, a forma de pagamento é diretamente a Oficina Reparadora.

07 - QUAIS OS FATORES QUE INFLUENCIAM NO CUSTO DO SEGURO DE AUTOMÓVEL?

O valor do automóvel varia de acordo com:

Marca

Tipo

Ano de Fabriçação/Ano Modelo

Região de residência/circulação do segurado/condutor

Perfil dos condutores

Uso do veículo

O valor da franquia

O plano de assistência 24 horas [ básica ou simples - vip e especial]

O bônus

Descontos especiais

Garantias contratadas e valor segurado para cada uma delas[ danos materiais, danos corporais e acidentes pessoais de passageiros], etc.


08 - CASO O CONDUTOR COLIDA EM CARRO DE UM PARENTE, SERÁ INDENIZADO?
 
Não. De acordo com as nomas da SUSEP e condições gerais do produto, não tem cobertura ascendentes, descendentes, cônjuge, irmãos, bem como qualquer parente ou pessoa que resida ou dependa economicamente do segurado, assim como empregados e prepostos quando a serviço dele e sócios dirigentes da empresa.

09 - QUAIS AS COBERTURAS QUE TENHO DIREITO EM MINHA ASSISTÊNCIA 24 HORAS?

Depende da sua escolha do tipo de plano [ Básica, normal, vip ou especial] e de cada seguradora, pois os serviços prestados são variáveis de acordo com as coberturas contratadas.

10 - QUANDO SE CARACTERIZA A PERDA TOTAL DO VEÍCULO?
 
Após a realização da Vistoria de Sinistro, serão apurados os valores de peças e mão-de-obra, e caso estes ultrapassarem 75% do valor de mercado do veículo conforme Tabela de Referência - FIPE será decretada Perda Total.

Também fica caracterizada em caso de furto ou roubo sem localização do veículo.

11 - QUANDO POSSO UTILIZAR O CARRO RESERVA?

Quando contratada a respectiva cobertura, o carro reserva será cedido pela Seguradora em caso de sinistro,, desde que, após a realização da vistoria, os prejuízos sejam superiores a franquia. O segurado pela locação do Carro Reserva deverá possuir Cartão de Crédito com limite exigido pela Locadora, mais de 02 anos de habilitação e ser maior de 21 anos.

12 - QUANDO POSSO ACIONAR MEU SEGURO PARA PAGAR DANOS PARA TERCEIROS?

Desde que a cobertura esteja contratada em sua apólice e você seja o causador do acidente.

13 - O QUE É TABELA DE REFERÊNCIA ?
 
Conforme circular 145 da SUSEP, fica determinado que a partir de 7 de fevereiro de 2001 as Seguradoras devem oferecer a opção para contratar cobertura do auto com Valor Determinado ou Valor Referenciado para cálculo de prêmio de seguro e indenização por Perda Total. Essa Tabela de Referência deve contemplar os valores dos automóveis com até 15 anos de fabricação e ser de ampla divulgação no mercado através da mídia. Em sua apólice de automóvel você encontrará uma percentagem do valor de referência e a tabela escolhida.

14 - QUANDO POSSO ACIONAR MEU SEGURO DE AUTOMÓVEL? O QUE DEVO FAZER?

Em caso de pane, colisão, incêndio, roubo, furto, danos da natureza ou alguma situação emergencial para o veículo e seus ocupantes, deverá ser acionada a Assistência 24hs do veículo (0800), desde que tenha sido contratada esta cobertura. Previna-se efetuando Boletim de Ocorrência, principalmente nos casos de roubo/furto (faça constar a descrição de cada item subtraído) e/ou sinistros envolvendo terceiros.

Tome providências para preservar o bem contra maiores danos, mesmo após o acidente.

15 - PORQUE HÁ DIFERENÇA DE CUSTO ENTRE SEGUROS DO MESMO MODELO DE VEÍCULO?
 
Os principais motivos que influenciam no cálculo do custo do seguro são:

Região de circulação

Perfil do usuário

Bônus na apólice

Índice de Risco de cada Seguradora

16 - O QUE É REGIÃO DE CIRCULAÇÃO?

Entende-se como Região de Circulação, aquela onde o veículo passa 85% do seu tempo ou mais. As seguradoras taxam o risco pelo CEP de pernoite do veículo segurado.

17 - O QUE É CASCO?

É o valor do bem segurado, neste caso, o automóvel.

18 - O QUE É COBERTURA COMPREENSIVA?

É a cobertura total para o veículo segurado, ou seja: Colisão,

Incêndio, Furto/Roubo e Terceiros.

19 - O QUE É PERFIL?
 
É um Questionário de Avaliação, através do qual a Seguradora fará a taxação do risco. Caso o segurado não fizer declarações verdadeiras ou omitir circunstâncias que possam influenciar na aceitação ou cálculo do prêmio, PERDERÁ o direito à indenização.

20 - O QUE É FRANQUIA? QUANDO E PARA QUEM DEVO PAGAR?

Franquia é a parte que o segurado paga, em caso de acidente. Ela só é cobrada quando do conserto do automóvel segurado. 

No conserto do veículo de terceiro não se aplica a franquia, assim como em caso de perda total do veículo segurado.


Dica: Quanto maior a franquia, menor o custo do seguro e vice-versa. Portanto, para ajudar a escolher qual a melhor franquia, pense na quilometragem que você roda e as vias que costuma freqüentar.

A franquia deverá ser paga exclusiva e diretamente ao Prestador de Serviço (Oficina/Funilaria).

EXCLUSIVO: Corretora de Seguros da Chapecoense conta como foi o dia da tragédia

Em entrevista exclusiva ao CQCS, a profissional responsável pelo seguro da Chapecoense, Liciane da Luz, da Rating Corretora de Seguros, contou como está sendo o processo de atendimento ao clube e aos familiares de atletas e demais funcionários mortos no trágico acidente com o avião que caiu próximo ao aeroporto de Medellín, na Colômbia. ‘Está sendo tudo muito triste. Mas, a nossa corretora e as seguradoras envolvidas estão dando total apoio. Estamos, agora, cuidando do translado dos corpos, o que deve ocorrer 5ª ou 6ª feira. Haverá uma cerimônia no estádio da Chapecoense e, depois, os corpos das vítimas serão enviados para as cidades onde as famílias residem”, explicou.
Mesmo com a experiência de quem trabalha no mercado há nove anos, boa parte desse tempo no ramo vida, ou seja, atendendo a famílias de segurados mortos, ela se diz muito abalada com a tragédia, seja pela dimensão do acidente, pelo fato de residir em Chapecó e ser torcedora da Chapecoense ou por estar acompanhando muito de perto todo o drama das famílias. “Já acompanhei outros casos, como um grave acidente que vitimou bombeiros. Mas, nem de perto lembram esta tragédia, com mais de 70 mortos. É imensurável. Além disso, sou torcedora do clube, acompanhava com orgulho a trajetória desses atletas e sei como se dedicavam”, frisou.
INDENIZAÇÃO. Liciane da Luz adiantou que a indenização do seguro de vida em grupo dos atletas e de membros da comissão técnica, como determina a lei, terá como base a remuneração desses profissionais, podendo chegar ao equivalente a 14 vezes do rendimento mensal de cada vítima coberta.
Esse seguro, que inclui ainda assistência funeral e translado, estão garantidos pela Porto Seguro.
Há ainda outra apólice, da CBF, contratada junto ao Itaú (agora, administrados pela Prudential).
Ela elogiou bastante o atendimento que vem sendo prestado pelas seguradoras. “Estão sendo muito ágeis no atendimento às famílias e ao clube, incluindo nos serviços internacionais. Há um comprometimento do mercado, não tive qualquer dificuldade. E recebi contatos até de seguradoras não diretamente envolvidas nesse caso, oferecendo apoio”, observou, assinalando ainda que o clube sempre foi muito correto, mantendo o seguro em dia e seguindo tudo o que determina a legislação para proteger os seus profissionais e familiares.
Liciane da Luz destacou também o papel que o corretor de seguros cumpre nesses momentos, oferendo todo o respaldo para as famílias. “Não trabalhamos apenas pela comissão. O corretor abraça a família, é amigo, tem uma missão muito bonita. Criamos um vínculo com a pessoa, um comprometimento. Essa confiança é o sentido da profissão. Afinal, o segurado coloca a família dele em nossas mãos”, concluiu.
Veja o que diz a Lei:
A Lei 12.395/2011 alterou a redação do artigo 45 da Lei Pelé e seus parágrafos, ampliando a cobertura para seguro de vida e não apenas contemplando o acidente de trabalho. Veja como ficou:
Artigo 45. As entidades de prática desportiva são obrigadas a contratar seguro de vida e de acidentes pessoais, vinculado à atividade desportiva, para os atletas profissionais, com o objetivo de cobrir os riscos a que eles estão sujeitos. (Redação dada pela Lei 12.395, de 2011).
Parágrafo 1º. A importância segurada deve garantir ao atleta profissional, ou ao beneficiário por ele indicado no contrato de seguro, o direito a indenização mínima correspondente ao valor anual da remuneração pactuada. (Incluído pela Lei  12.395, de 2011).
Parágrafo 2º. A entidade de prática desportiva é responsável pelas despesas médico-hospitalares e de medicamentos necessários ao restabelecimento do atleta enquanto a seguradora não fizer o pagamento da indenização a que se refere o parágrafo 1º deste artigo. (Incluído pela Lei 12.395, de 2011).

Fonte: CQCS

domingo, 27 de novembro de 2016

VITÓRIA: Não ao carvão, rumo a 100% energias renováveis

Governo veta incentivo bilionário à energia proveniente da queima do carvão mineral, uma das fontes mais poluentes do mundo, por "contrariar compromissos internacionais"



Após a forte mobilização de 50 mil brasileiros e o apoio de mais de mil ONGs de todo o mundo, o presidente Michel Temer tomou a decisão correta e vetou o artigo 20 da Medida Provisória 735. De acordo com estimativas da própria Associação Brasileira de Carvão Mineral, o incentivo ofereceria US$5 bilhões em novos subsídios à geração de energia com carvão mineral. O veto já havia sido anunciado no último dia 11 em carta ao Ministro do Meio Ambiente José Sarney Filho, e hoje foi publicado no Diário Oficial.
O não ao artigo 20 é uma vitória importante para o Brasil e para o mundo. O carvão gera, sozinho, quase um terço das emissões mundiais de gases que causam as mudanças climáticas. É altamente poluente, levando a mais de 800 mil mortes prematuras por ano no mundo todo. No Brasil é ainda uma fonte cara de energia, impactando nas contas do governo e na renda da população, que paga mais por eletricidade suja.
Leia mais:
O prazo para a decisão sobre o veto coincide com o período de realização da 22ª Conferência do Clima da ONU (COP22). O fato do Brasil dizer não ao carvão reforça a mensagem levantada por diversos governos e inúmeras organizações da sociedade civil durante as negociações: devemos honrar o Acordo de Paris e seguir adiante no enfrentamento às mudanças climáticas, aconteça o que acontecer.

No mundo todo, há um movimento cada vez mais forte apontando para o fim da geração de energia a carvão. O veto brasileiro a novos subsídios é um passo importante, mas é possível ir muito além. O Plano Decenal de Energia do governo federal ainda indica que nos próximos anos o Brasil pretende dedicar  70% dos investimentos aos combustíveis fósseis que geram o aquecimento global, como carvão e petróleo.

De acordo com a carta que Temer endereçou a Sarney, o apoio ao carvão foi vetado por "incompatibilidade com o interesse público, contrariando compromissos internacionais assumidos".
Para cumprir plenamente com as metas estabelecidas, defender o interesse da sociedade e evitar que o mundo aqueça mais do que 1.5ºC - como indicado no Acordo de Paris -, precisamos avançar nos esforços e chegar ao ano de 2050 com 100% de energias renováveis, com uma rápida e firme mudança na direção de todos os recursos públicos destinados ao setor. Seguiremos buscando esta transição e atentos para resistir a iniciativas que apontem na direção contrária.

Fonte: Greenpeace

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Viciados em celular têm mais medo do abandono



Seja quando o crush responde sua mensagem, seja quando chega um email urgente do RH da empresa, tem horas que simplesmente não dá para ignorar o celular vibrando no bolso – mesmo se você estiver andando na rua. Sabendo disso, pesquisadores da Universidade de Delaware, nos EUA, fizeram um estudo um tanto engraçado: a ideia era descobrir o que mudava na forma das pessoas de andar enquanto elas digitavam em seus smartphones – e que tipos de riscos nós corremos enquanto estamos distraídos com a cara enfiada na telinha.
O estudo foi assim: os cientistas pediram para 22 voluntários digitarem números aleatórios em seus celulares enquanto andavam na calçada por dois minutos. Os participantes da pesquisa usaram 62 marcadores de movimentos (pequenos adesivos digitais que registram, num programa de computador, as variações de movimentos), nos braços, no tronco, nas pernas, na pélvis, nas pernas e nos joelhos.
A conclusão foi que, ao mexer no celular, as pessoas inconscientemente adotam um caminhar mais exagerado: passos largos, um tronco que se mexe mais, cotovelos bem separados do tronco e ombros tensionados. Isso porque o corpo, sendo a máquina de proteção que é, percebe quando estamos completamente distraídos com a mensagem fofa do crush, e conclui que temos muito mais chances de cair ou esbarrar em alguma coisa. E aí, como um sistema de segurança biológico, damos passos mais cautelosos, abrimos os braços como um “sensor” e mexemos o tronco e o quadril para dar equilíbrio à coisa toda – os ombros tensos são cortesia do stress de andar sem olhar para o caminho.
Outro estudo parecido, da Universidade de Bath, no Reino Unido, percebeu mais um sistema corporal de segurança para os viciados no smartphone: os passos ficam mais cuidadosos e leves, quase como se a pessoa estivesse pisando em ovos, e a caminhada fica bem mais lenta que o normal – segundo o estudo, quem digita no celular enquanto anda demora cerca de 26% mais tempo para percorrer a mesma distância que as pessoas que apenas caminham.
Tudo isso o corpo faz sozinho, só para diminuir o seu risco de cair ou bater em alguma coisa pelo caminho. Mas não é só: os cientistas dos EUA perceberam também que nenhum dos participantes da pesquisa errou a digitação dos números, em momento algum da pesquisa – ou seja: não é só que as pessoas estão digitando cada vez mais ao mesmo tempo que andam – na verdade, estamos priorizando a atenção no celular acima da nossa segurança.
Fonte: Superinteressante

sábado, 15 de outubro de 2016

Horário de verão começa à meia-noite; relógios devem ser adiantados em uma hora

O horário de verão começa à meia-noite deste sábado (15), quando os relógios deverão ser adiantados em uma hora nos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A medida, que vai até o dia 19 de fevereiro de 2017, atinge 11 unidades da Federação: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo.


 A mudança é para aproveitar melhor a luminosidade do dia nesta época do ano, reduzindo o consumo de energia nos horários de pico e evitando o uso de energia gerada por termelétricas, que é mais cara e mais poluente do que a gerada pelas hidrelétricas.
A mudança no horário acontece sempre no terceiro domingo de outubro e termina no terceiro domingo de fevereiro, exceto quando coincide com o feriado de carnaval. No Brasil, o horário de verão tem sido aplicado desde 1931, com alguns intervalos.
O horário de verão só é aplicado nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, porque nesses estados o consumo é maior e é onde os melhores resultados são alcançados. Segundo o Ministério de Minas e Energia, a aplicação no Norte e no Nordeste teria poucos benefícios em termos de economia de energia, por causa da proximidade da Linha do Equador, o que faz com que a duração dos dias nessas regiões não tenha mudanças significativas ao longo do ano.
A medida também é adotada em diversos países, como forma de usar energia de forma mais eficiente, especialmente nos países com geração termelétrica, ou de racionalizar o uso da infraestrutura energética. Nos Estados Unidos, por exemplo, é adotado “Daylight Saving Time”, geralmente entre março e novembro.
Economia
Segundo o Ministério de Minas e Energia, nos últimos dez anos, a medida tem possibilitado uma redução média de 4,5% na demanda por energia no horário de maior consumo e uma economia absoluta de 0,5%, o que equivale, em todo o período do horário de verão, aproximadamente ao consumo mensal de energia da cidade de Brasília, com 2,8 milhões de habitantes.
Para este ano, a expectativa do Operador Nacional do Sistema Elétrico é que a medida possibilite uma economia de R$ 147,5 milhões, que representa o custo evitado em despacho de usinas térmicas por questões de segurança elétrica e atendimento à ponta de carga no período de vigência do horário de verão.
Horário de embarque
Quem tem viagem marcada para este fim de semana deve ficar atento aos horários de embarque. Os horários dos bilhetes de passagem são impressos em hora local, e, para evitar transtornos, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) orienta aos passageiros que entrem em contato com as empresas aéreas em caso de dúvidas.
Hábitos de consumo
Além da redução do consumo de energia com o melhor aproveitamento da luz do dia, os brasileiros podem aproveitar para diminuir o gasto tomando alguns cuidados no dia a dia. Algumas dicas são conhecidas como apagar a luz ao sair de um ambiente; usar lâmpadas fluorescentes compactas ou de LED; preferir a luz natural durante o dia e desligar o chuveiro enquanto se ensaboa.
Uma cartilha da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) traz outras orientações sobre o uso racional da energia. Por exemplo, a pintura de paredes internas e teto com cores claras, que refletem melhor a luz natural. A geladeira deve ser aberta o mínimo possível de vezes, retirando todos os itens de uma só vez.
Para lavar roupas, deve-se acumular o máximo de peças possível para lavar de uma só vez na máquina e usar pouco sabão, para não ter que enxaguar a roupa várias vezes. O mesmo vale para o ferro de passar, que deve ser ligado para passar mais roupas da mesma vez, pois o aparelho consome muita energia sempre que é acionado.

Fonte: Agência Brasil

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Economia - Bancos reabrem as portas nesta sexta-feira, após um mês de greve

Avisos de compra no cartão por SMS

As instituições financeiras que operam com cartão de crédito devem disponibilizar, por meio de mensagens sms, avisos de compras realizadas por seus clientes. É o que determina a Lei 7.438/16 de autoria do deputado Jorge Picciani (PMDB) e do parlamentar licenciado Rafael Picciani. A medida foi sancionada pelo governador em exercício Francisco Dornelles e publicada no Diário Oficial do Executivo na última segunda-feira.
Segundo os autores, o objetivo é dar maior transparência e segurança às operações financeiras, evitando que sejam feitos lançamentos indevidos na conta de clientes, muitas vezes, vítimas de roubo, furto ou extravio do cartão de crédito. “Alguns bancos já oferecem essas informações aos seus clientes, no entanto, não é obrigatório. A medida terá grande eficácia na ampliação da abrangência do serviço e para coibir crimes”, afirma Jorge Picciani.
As instituições terão prazo de 90 dias para se adequarem à norma, que é obrigatória, independente do valor da compra. A lei determina, ainda, que as transações internacionais também sejam informadas. Quem descumprir a medida poderá ser punido com multa diária de até 80 mil UFIRs-RJ, ou cerca de R$ 240 mil (o valor da UFIR-RJ atualmente é de R$ 3). (A.N.)

Fonte: Folha da Manhã

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Moradores do Rio agora podem fazer B.O. pelo celular

Aplicativo com opções como “comunicação de ocorrência”, “extravio de documentos” e “denúncia do bairro”  
















Os registros de ocorrência de crime ou perda de objetos no estado do Rio de Janeiro podem ser feitos agora na palma da mão, ou seja, pelo telefone celular. 

A Polícia Civil do estado criou um aplicativo para ser baixado em aparelhos móveis com opções como “comunicação de ocorrência”, “extravio [perda] de documentos” e “denúncia do bairro”. É só clicar e preencher o formulário. Basta acessar do seu dispositivo a loja de aplicativos, digitar “Delegacia Online PCERJ” e instalar. O aplicativo foi desenvolvido pelo Departamento Geral de Tecnologia da Informação e Telecomunicações da Polícia Civil e já está disponível para download na Play Store e na App Store. 

Com o aplicativo, também é possível entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cidadão (CAC). O cidadão pode tirar dúvidas, fazer elogios ou reclamações, contribuir com informações para investigações e auxiliar a Polícia Civil na localização de foragidos. 

Desde 2014, está disponível no estado um sistema similar para registro de boletins de ocorrência (BO) pela internet. O documento emitido online tem a mesma validade de um BO feito em uma delegacia. Para fazer o registro, é necessário acessar o site da Delegacia de Dedicação Integral ao Cidadão (Dedic) da Polícia Civil. Em seguida, é só preencher o formulário disponibilizado na delegacia eletrônica. O serviço é disponibilizado para cidadãos com idade a partir de 18 anos, que devem indicar o CPF e o CEP do local onde moram. No caso de turista estrangeiro, que não tem o CPF, é necessário informar o CNPJ do estabelecimento hoteleiro onde está hospedado.

Fonte: Exame

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Pokémon Go: Detran-RJ lança campanha para evitar acidentes



O jogo projeta os monstrinhos no cenário da vida real, o que pode causar acidentes


O Departamento de Trânsito do Rio de Janeiro (Detran-RJ) lançou na manhã de hoje (4) uma campanha educativa alertando os usuários do jogo Pokémon Go para os riscos que o aplicativo pode trazer. O programa utiliza uma tecnologia conhecida como realidade aumentada, projetando os monstrinhos no cenário da vida real, o que pode causar acidentes. O jogo chegou ao Brasil na noite de ontem (3).

Com o nome de PokeStop, a campanha busca reforçar que o público se divirta bastante, mas que não esqueça de tomar cuidado e ter atenção ao atravessar ruas e enquanto estiver ao volante. Segundo o coordenador-geral de educação do Detran-RJ, o uso crescente dos aparelhos móveis tem feito com que a combinação celular/direção aumente em mais de 400% as chances de acidentes, de acordo com pesquisas realizadas pela Universidade de Utah, nos Estados Unidos.
Toda essa preocupação, infelizmente, tem um exemplo recente. Amanda Tinoco, 36 anos e moradora da Tijuca, perdeu, em 2014, o seu único filho, Gabriel, 16 anos, não muito longe de casa. Ele foi atropelado por um ônibus ao atravessar uma rua das redondezas enquanto jogava no celular.
O menino tentava descobrir um portal do jogo chamado Ingress, do Google, e que é precursor do Pokémon Go. O portal que ele buscava estava bem próximo do acidente. Segundo o Detran-RJ, o número de acidentes com pedestres nessa situação vem crescendo bastante e já está comprovado que, ao digitar uma mensagem, o tempo de reação fica reduzido em 35%.
Pokémon é uma franquia de jogos eletrônicos lançada em 1996, que posteriormente veio a fazer muito sucesso em forma de desenho nas televisões de todo o mundo, além de cartas, filmes e outros. Em 2016, o título comemorou 20 anos de história.

Fonte: Folha da Manhã

domingo, 31 de julho de 2016

Seguro de Automóveis. Quer seu carro protegido?

Assista neste vídeo a uma aula de como contratar e para que serve o seguro de automóveis.



Fonte: YouTube / Escola Nacional de Seguros




Para contratar o seguro do seu carro ou receber mais informações em Campos dos Goytacazes/RJ, fale conosco 

e-mail: c.barbosa2006@terra.com.br / seguroemtemposderiscos@gmail.com 

sábado, 2 de julho de 2016

Quer aprender a distância segura do veículo à frente?



É bem simples: escolha um ponto fixo na via, como uma árvore, por exemplo. Quando o veículo à sua frente passar por esse ponto definido, conte pausadamente cinquenta e um, cinquenta e dois (mais ou menos dois segundos). Se você passar por esse ponto de referência antes de terminar a contagem, atenção! Diminua a velocidade para garantir a sua segurança. 

Lembre-se que é importante levar em consideração as condições climáticas, pneus e freio do carro e sua velocidade. 




Fonte: Detran RJ

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Carona remunerada

Questão do seguro é mais um ponto polêmico do aplicativo UBER 



Nas grandes cidades do país, já se tornaram comuns os protestos de taxistas contra o aplicativo Uber. 


Criada em 2009 nos EUA, a multinacional norte-americano que criou esse aplicativo de transporte privado remunerado tem dado o que falar por onde se instala. Mundialmente conhecida – e polêmica –, a empresa propõe uma opção nova de transporte nas grandes cidades, oferecendo, por meio de motoristas e seus carros particulares, o que se chama de “carona remunerada”, semelhante ao táxi tradicional. Por oferecer um serviço diferenciado, com vantagens como carros mais novos e serviços aos passageiros, como água e doces, o serviço logo conquistou um número grande de usuários. 

Com a mesma rapidez cresceu o número de críticos, sobretudo entre os taxistas profissionais que, fortemente regulados, acusam a empresa de concorrência desleal. A polêmica gerada pelo Uber, no entanto, não se restringe à legalidade do serviço prestado. “A questão do seguro para os automóveis que prestam o serviço está dando muito o que falar no mercado de seguros”, é o que afirma Bruno Kelly, sócio da Correcta Corretora de Seguros, com exclusividade para o Tudo Sobre Seguros. “É um enquadramento difícil de fazer. Do ponto de vista legal, um carro do Uber não é táxi. Inclusive, isso fica ratificado na medida em que a placa não é vermelha, como a dos carros de praça. Isso jogaria o seguro desses veículos na categoria ‘particular’”, explica. Por outro lado, do ponto de vista prático, trata-se de um carro de praça, ou aluguel, cujo risco é substancialmente maior que o de um carro de passeio”, completa. 

Ainda segundo Kelly, muitas seguradoras não aceitam o risco dos táxis legalmente constituídos e tampouco dos carros do Uber, que têm ainda seu risco substancialmente potencializado pelos atos de vandalismo praticados em diversas cidades ao redor do mundo contra seus motoristas e veículos.  “As seguradoras que aceitam cobrir táxis (que são poucas) temem aceitar os carros do Uber, não apenas pelo risco mais elevado e a dificuldade de enquadramento, mas também pela dificuldade de indenização (os táxis têm isenção tributária no ato de sua aquisição o que faz com que tenham um valor de indenização inferior ao de um carro de passeio comum)”, diz. De forma mais objetiva, Kelly explica que o seguro para os automóveis do Uber tende a ser precificado como táxi e os atos de vandalismo, por enquanto, ainda não têm sido considerados na precificação, pois é um risco não aceito. “Cabe aqui um alerta! Vemos no dia a dia muitos corretores cotando seguro de Uber como veículos de passeio. Isso é extremamente perigoso, pois pode acarretar uma negativa de indenização por parte da seguradora, caso, no momento do sinistro, fique caracterizada a utilização do veículo como Uber e não como veículo particular”, ele ressalta.

Por dentro do Uber Um motorista do Uber, que prefere não se identificar, comentou com exclusividade ao Tudo Sobre Seguros que uma das exigências feitas pelo aplicativo para que um motorista se cadastre para prestar o serviço, é contratar um seguro de Danos a Terceiros com cobertura mínima de R$ 50 mil. Situação legal do aplicativo Depois de muito embate entre taxistas e motoristas do Uber, a Justiça deu pareceres favoráveis ao aplicativo nas duas maiores cidades do país. A Justiça do Rio de Janeiro concedeu, em outubro de 2015, liminar autorizando o funcionamento do serviço de transportes no estado. A decisão, da juíza Mônica Teixeira, da 6ª Vara de Fazenda Pública da Capital, proíbe que o Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro) e a Secretaria Municipal de Transportes do Rio restrinjam o livro exercício da atividade empresarial do Uber. Em São Paulo, o desembargador Fermino Magnani Filho, da 5ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo concedeu, no dia 2 de fevereiro de 2016, uma liminar proibindo a prefeitura da capital paulista de praticar quaisquer medidas restritivas contra o uso do aplicativo Uber, tanto relacionadas aos motoristas quanto aos usuários. Recentemente, foi publicado decreto do prefeito de São Paulo liberando o funcionamento de empresas como a Uber mediante compra de créditos que serão oferecidos por quilômetro rodado a um custo médio de 10 centavos, podendo variar por horário e local.

Fonte: Tudo Sobre Seguros


quinta-feira, 28 de abril de 2016

Home office: proteções do seguro para quem trabalha em casa



Cada dia mais pessoas aderem ao modelo de trabalho home office, seja por recomendação das empresas ou por iniciativa própria. Segundo Álvaro Melo, presidente da Sociedade Brasileira de Teletrabalho, estima-se que 32,5% da população mundial economicamente ativa trabalha de suas casas - ou seja, aproximadamente 1 bilhão de indivíduos fazem parte do sistema de home office, sendo que desse montante 12 milhões são brasileiros.
Os principais motivos que levam à mudança do escritório para o home office são os problemas de mobilidade urbana e à busca por mais qualidade de vida. Mas não pense que é fácil, não! É preciso muita disciplina, organização e comprometimento com prazos e metas.
E sim, trabalhar de casa pode ser mais tranquilo do que no ambiente empresarial, mas isso também significa que você precisará lidar com problemas que antes não eram de sua responsabilidade.
Com a tempestade de ontem parece que meu computador queimou. Vou chamar o TI” ou 
“Acabou a energia no escritório, vou tomar um café enquanto espero voltar” - não existem mais as figuras do rapaz de TI ou o técnico de manutenção que cuida dos reparos no seu andar. E agora, como resolver esse problema?


Ao contratar um seguro residencial, você poderá contar com diversas coberturas, entre elas:
  • IncêndioExplosão e Implosão de qualquer causa, exceto dolo;
  • Queda de raio, que danifique diretamente os bens segurados;
  • Danos elétricos, eletrônicos e curto-circuito;
  • Roubo ou furto qualificado.

Mencionamos algumas proteções do seguro residencial que contribuem para a tranquilidade de quem trabalha em casa, pois garantem a segurança dos equipamentos utilizados para desempenhar as atividades profissionais, bem como a de toda a residência.
Além disso, existem outros serviços e assistências que contribuem para que o segurado não fique na mão durante o horário comercial (e também fora dele!): Assistência Domiciliar e Check-up Lar.
Já levou em consideração que provavelmente você nunca passou tanto tempo em sua casa como agora, caso já atue no regime home office? Mais um motivo para garantir que o seu lar esteja totalmente protegido.
Converse conosco e informe-se sobre descontos, exclusividades e as melhores condições pra contratar um seguro residencial que ofereça as condições acima informadas, pois não são todas as apólices contratadas no mercado que oferecem as mesmas prestações de serviços.
Nossa especialidade é cuidar de você e do seu patrimônio .

Nosso contato em Campos dos Goytacazes/RJ: 
seguroemtemposderiscos@gmail.com / c.barbosa2006@terra.com.br